sábado, 31 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Quem te avisa...

"The EU summit

Beware the Merkozy recipe. The euro crisis cannot be solved by yet another one-sided solution."


The Economist, today.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

In memoriam (II)


Relembrando Mark Twain - (30 de Novembro de 1835 - 21 de Abril 1910)

Algumas frases que, apesar de escritas há um ror de anos, se mantêm tão actuais...

"Não nos libertamos de um hábito atirando-o pela janela: é preciso fazê-lo descer a escada, degrau a degrau."


"É melhor merecer honrarias e não recebê-las, do que recebê-las sem merecer."


"Há duas ocasiões na vida em que uma pessoa não deve jogar: quando não tiver posses para isso - e quando tiver."


"Não há graus de vaidade, apenas graus de habilidade em disfarçá-la."


"Vamos agradecer aos idiotas. Se não fossem eles, não teríamos tanto sucesso."


"Cada um de nós é uma lua e tem um lado escuro que nunca mostra a ninguém."


"Aquele que tem uma ideia é um tipo esquisito até que a ideia vença."

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Apelo...

Amanhã é dia de greve geral.
Apelo aos trabalhadores para não se esquecerem...
Esta greve é importantíssima não para manter os vossos postos de trabalho (isso é secundário...), mas - mais importante que tudo - manter os lugares dos dirigentes sindicais, a começar pelos 'eternos donos' das centrais.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Quem diria...

Não sei se rir, se chorar...

PGR diz abrir inquérito a Otelo, só no caso dele fazer um golpe de estado.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

In memoriam

Lembrando Carlos Drummond de Andrade no dia do seu 109º aniversário


"A Palavra Mágica


Certa palavra dorme na sombra

de um livro raro

como desencantá-la?
É a senha da vida

a senha do mundo.

Vou procurá-la.

vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.

Se tarda o encontro, se não a encontro,

não desanimo,

procuro sempre.

Procuro sempre, e minha procura

ficará sendo

minha palavra."


in 'Discurso da Primavera´

terça-feira, 25 de outubro de 2011

É de rir até às lágrimas

"O dr. Jorge Coelho é um amor

Dr. Jorge Coelho, estou que nem posso. Estou que nem posso com as suas últimas declarações. Passei o dia inteiro com a lágrima no canto do olho, porque fiquei mesmo comovido ante tamanha demonstração de bondade. V. tem qualquer de Bambi ou assim. Porque, de facto, só um Bambi dá a pensão vitalícia a instituições de caridade. Uma pessoa normal, como eu, faz solidariedade com o seu próprio dinheiro. Uma pessoa não-tocada pela bondade progressista pega no seu próprio dinheiro e ajuda as instituições na medida do possível. Os directores-de-empresas-que-não-receberam-a-solidariedade-do-dr.-Paulo-Campos fazem solidariedade com o seu próprio dinheiro ou com o dinheiro da empresa-que-não-recebeu-um-bónus-de-600-milhões-de-euros-do-dr.-Paulo-Campos. Ah, mas V., qual Bambi do alcatrão, é uma pessoa especial, e por isso faz caridade não com o seu dinheiro, mas com o meu dinheiro, com o dinheiro dos meus impostos. E eu acho isso tão bonito, meu caro. Porque é bom saber que um socialista deu - finalmente - bom uso aos meus impostos. Porque é bom verificar que os Bambis socialistas, com ou sem alcatrão, são sempre assim, assim doces, assim bondosos e assim desprendidos em relação ao dinheiro: ganham milhares de euros no seu trabalho, mas não abdicam da sua subvenção estatal. Dr. Jorge Coelho, V. é um amor. Abraços para si e beijinhos para o dr. Dias Loureiro, outro grande benemérito da III República."


PS: será que o dr. Vitorino, essa grande reserva moral da nação, também usa a sua subvenção para fins sociais?"

Henrique Raposo in "EXpresso" 25.10.2011


sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Muito, mas muito obrigado...


Graças a si e aos seus "compagnons de route", temos o que merecemos por termos consentido ...
Thank you very much
Muchas gracias
Merci beaucoup
Vielen dank
Grazie tante
Σ ' ευχαριστώ πάρα πολύ
Dank u wel
Tack ska du ha
Kiiti paljon


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Na verdade...


Pois é, pois é...


in 'Sábado' 3 Outubro 2011

Na verdade, muito tempo se tem perdido para achar uma solução para a crise...

Que atrevimento...


Então isto faz-se...
n 'Sábado' 3.Outubro.2011

sábado, 17 de setembro de 2011

Viva a desfaçatez...

"Seguro acusa Passos Coelho de ser cúmplice de Alberto João Jardim"
in "i" online

E o Seguro é cúmplice de quem?


Não está em questão a gravidade do 'buraco' detectado na Madeira.

Não devemos é, ao criticar a Madeira, esquecer que, aqui no cantinho, entre 2005 e 2011 a dívida pública passou de 80 para 160 mil milhões.

Como diria a minha Avó:
"Quem tem telhados de vidro, não deve atirar pedradas...

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Quem diria...

Respigo do jornal 'i' de hoje:

"Grandes clientes da Banca fiscalizados.
Dívidas de Berardo na mira da Troika.
Empresário obteve um crédito de mil milhões em 2007 da CGD de Santos Ferreira e Armando Vara para comprar acções do BCP que hoje valem 73 milhões".

Comentários para quê? É genuinamente português...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

E esta hein?

No 'i' de hoje:


“Ex-primeiro-ministro esteve na última sexta-feira com a chanceler alemã e uns dias antes com Zapatero. Antecipou-se a Passos Coelho”


Que quererá isto dizer? Respigo do "i":


"... A quem conhece José Sócrates, não espanta esta tentação de influenciar as decisões e condicionar a margem de manobra dos adversários políticos. Estamos igualmente bem habituados ao pouco sentido de fair play político do ex-primeiro-ministro. O que talvez fosse mais difícil de imaginar é que os dirigentes políticos europeus aceitassem jogar intrigas de bastidores. Resta esperar que tais malabarismos não tenham maior consequência que aquela que tiveram outros números circenses de José Sócratesbol.(bold meu). Estaríamos nesse caso diante de práticas de política paralela que, a ser apadrinhadas ao mais alto nível dos salões europeus, seriam motivo de preocupação.

Não é segredo para ninguém o facto de o chumbo do PEC 4 em Março não ter caído no agrado de Angela Merkel, a ponto de Passos Coelho não ter sido depois poupado à reprimenda da chanceler alemã e de Sarkozy. Pelos vistos, o primeiro-ministro português está longe ainda de poder contar, junto dos amigos de Sócrates, com a confiança que nele depositaram os portugueses no recente acto eleitoral."


Quem souber, que explique, por favor...

sábado, 27 de agosto de 2011

A ver vamos aonde iremos parar...

Com tantas ideias que por aí pululamn para aumentar impostos e para criar outros; como, por exemplo: sobre o património de todos que sejam ricos ( ouro, jóias, pinturas, casas, etc., etc. ) aonde iremos parar com tais 'loucuras'? Se a idéia é acabar com os ricos, não seria bem melhor tentar reduzir as despesas de um Estado tremendamente gastador e, já agora, tentar com verdade, acabar ainda que a pouco e pouco, com os realmente pobres.

Nota: O imposto sobre o património não me incomoda nada em termos pessoais. Jamais serei abrangido por tal. Incomodar-me-á, isso sim, é se os ricos forem à procura (ainda mais) dos chamados paraísos...

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Que gentileza...

Ontem, deixei um comentário no 'Corta-Fitas', a sugerir a correcção de 'massissa' por 'maciça' num post sobre Kadhafi. A correcção foi feita. O comentário não foi publicado. Que gentileza...

terça-feira, 16 de agosto de 2011

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ainda o tempo...

Quando será que, de uma vez, o Verão cá chega. Estou farto de não ir à praia ou, quando vou, levo com vento, só vento e, também, com uns borrifos para refrescar a memória. O Sol, coitado, tem andado mais envergonhado que alguns políticos. Nem o tempo nos ajuda...
O que vale é que há sempre outras coisas para fazer...

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Vivam as férias....

Já dizia a minha Avó: "1º de Agosto, 1º de Inverno"... Nem o tempo nos dá uma ajudinha para manter uma certa boa disposição. Com dias como o de hoje... não há bom humor que se aguente.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Que tristeza de jornalismo...

Apenas dizer que é lamentável que um tal de Nicolau Santos, parece que director-adjunto dum outrora credível jornal chamado 'Expresso', escrevesse um artigo desta natureza sobre o actual Ministro das Finanças:



Comentários para quê? É jornalismo português...

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Que maravilhas...


Jamais imaginei que a areia que, na maior parte das vezes tanto nos incomoda, pudesse ser tão maravilhosa...

in Sábado, 14 de Julho de 2011.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Agências de 'rating'...

Que 'ratices' estarão por detrás de tantos cortes pela Moody's a Portugal, justamente na altura em que temos um Governo que mal teve tempo de aquecer o lugar?
A juntar à dívida, à CGD, ao BES, ao BCP, ao Banif, temos mais a CP, a Refer, a Parpública e a RTP. E, pasme-se, Sintra, Lisboa e, pelos vistos, não irão parar por aqui...
Como diria o meu amigo Enrique, "No creo en las brujas, pero que las hay, las hay..."

Vá lá, por favor, riam-se...

in Sábado 7 Julho 2011


terça-feira, 5 de julho de 2011

domingo, 26 de junho de 2011

Expresso

Só lendo. Os pontos 7 e 8 do Estatuto Editorial são um verdadeiro mimo. Nem dá para acreditar.
Se estivessem escritos numa língua daquelas em cujos países imperam a censura e o controlo absoluto sobre os meios de comunicação e não só, não me admiraria. Agora, escritos em Português, só dá para lamentar. Que tristeza...
É por estas e por outras que, pouco a pouco, fui deixando de comprar jornais.

sábado, 25 de junho de 2011

Vaidades...peneiras...

Pode ler-se no Expresso:

"Na transição, Gabriela Canavilhas recusou receber Francisco José Viegas, por
este ser secretário de Estado."

Não fez nada pela Cultura, mas se as peneiras fossem música, teria criado e regido uma fabulosa orquestra. Tantas vaidades, só vaidades... ou, em linguagem mais vernácula: tantas peneiras, só peneiras...

quarta-feira, 22 de junho de 2011

E a diferença continua...

O 1º Ministro, Pedro Passos Coelho, continua a ser diferente e a dar exemplos:

Amanhã viajará de avião para Bruxelas. Hoje, para grande admiração da agência de viagens, mandou trocar as cinco reservas na TAP de executiva para económica.
Segundo li algures, até na TAP ficaram admirados com o pedido. Estavam mais habituados ao inverso...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Afinal, ainda há quem seja diferente....


"Pedro Passos Coelho rejeitou a reforma vitalícia
Pedro Passos Coelho foi o único deputado em 37 anos de história da Assembleia da República que rejeitou a reforma vitalícia a que tinha direito pelo exercício do cargo. Isto foi em 1999. São centenas de milhares de euros poupados ao erário público. Mostra bem o seu carácter, a sua seriedade e o escrúpulo com os dinheiros públicos.Não abdicou dos seus princípios, mesmo quando isso poderia prejudicar o seu interesse. São pessoas desta envergadura ética que precisamos para governar Portugal."

'gamado de' "atulhadoatilio.blogspot.com

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Memória...

Relembrando Fernando Pessoa no dia em que passam 123 anos do seu nascimento:

" O Amor


O amor, quando se revela,

Não se sabe revelar.

Sabe bem olhar p'ra ela,

Mas não lhe sabe falar.


Quem quer dizer o que sente

Não sabe o que há de dizer.

Fala: parece que mente

Cala: parece esquecer


Ah, mas se ela adivinhasse,

Se pudesse ouvir o olhar,

E se um olhar lhe bastasse

Pr'a saber que a estão a amar!


Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente

Fica sem alma nem fala,

Fica só, inteiramente!


Mas se isto puder contar-lhe

O que não lhe ouso contar,

Já não terei que falar-lhe

Porque lhe estou a falar..."

domingo, 5 de junho de 2011

Está a falar o Artista...

Palavras, palavras... "Hoje, como sempre, acredito em Portugal e no seu futuro". E felicitou os vencedores... E um apelo patético: "reafirmo a disponibilidade do PS para o diálogo". E, também, "O PS teve um resultado que dignifica o Partido." E, por fim, anunciou que se demite de secretário-geral do PS. Antes que seja corrido, afirmou que "regresso com humildade a militante de base." E, ainda: "não me ocorre nada que pudesse ter feito melhor". "Perdemos hoje. mas não receamos o julgamento da História". O que sei é que o PS fez nesta eleição uma grande campanha".
"Termino este mandato com um sentimento de serenidade".

No fundo, lá bem no fundo, desiste antes que seja corrido... ou, se calhar, irá começar a preparar-se para ser candidato a PR

E esta, hein...

Segundo o dr José Lelo agorinha mesmo na TVI24, o PS perdeu por não ter salientado na campanha as coisas boas que fizeram durante a governação. Tem graça, devo andar muito distraído, não dei por nada de bom...

Afinal, lá foram...

No dia Mundial do Ambiente, a força do voto dos Portugueses conseguiu varrer e limpar o 'lixo´que por aqui andava... Viva a democracia.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Perdoem o esquecimento...

Há pouco esqueci-me de dizer que Paulo Portas tem dois adversários. O Artista mais a Judite... Que raio de moderadora... sempre ao lado do mesmo.

Grande Artista

Estou fartinho de me rir com o debate entre JS e Paulo Portas. Ainda nem chegou ao fim e o Artista continua a afirmar, convictamente, que o acordo com a troyka é, sem tirar nem pôr, rigorosamente igual ao PEC 4. Afinal, o descaramento não tem limites...

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ainda haverá dúvidas?

Título do editorial da Sábado de hoje: "Preparem-se: Sócrates não quer mudar nada."

Respigo o seguinte:

"Na terça-feira à noite, servindo-se de informação privilegiada sobre as negociações com a troika, aproveitou-se do cargo de primeiro-ministro para atacar o seu principal rival nas próximas eleições. Em vez de tratar os portugueses como cidadãos, optou por tratá-los como urnas de voto."

Não tem mesmo cura...


Vale a pena ler e meditar...

No 'Público' de hoje, como sempre, vale a pena ler o artigo de Helena Matos, intitulado:

"Há largo tempo que a figura de primeiro-ministro foi substituída pela de performer de ilusionismo.
Senhoras e senhores, respeitável público, liguem a televisão e verão algo nunca visto".
Para aguçar a curiosidade , transcrevo a parte final: "E o povo continuava a correr para assistir e bater palmas. E continua até porque no "Admirável show de José Sócrates, o ilusionista que nunca falha" cada um dos portugueses tem uma paricipação prevista, quanto mais não seja como partenaire contribuinte."

negrito meu



terça-feira, 3 de maio de 2011

Medidas da "troika"

Ao ouvir o Artista, pareceu-me que ele só apresentou o que não está no acordo. 'Esqueceu-se' do que lá está... Não sei para quê, amanhã saberemos a verdade inteira ... É mesmo vício...

sexta-feira, 29 de abril de 2011

"A campanha eleitoral da Central de Propaganda"

Leiam, por favor, com atenção. Esta situação não poderá continuar...
Vale haver pessoas como o Eduardo Cintra Torres que, no seu habitual "Olho Vivo" das sextas-feira, no "Público", escreve hoje:

"A TVI lá fez mais uma entrevista a Sócrates, ajeitando-se à agenda do líder do PS. Como se comprovou no final, a entrevista foi, para o país, totalmente inútil. Zero de conteúdo. Quaisquer que sejam as perguntas, ele repete à exaustão as mesmas cinco frases memorizadas. Hábil a intimidar entrevistadores, ignora-lhes as perguntas, debitando o menu decorado e queimando tempo.
Judite Sousa não colocou diversas perguntas importantes e não obteve respostas às que colocou. Resultado: um festival de propaganda pessoal, mais um em poucas semanas. Sócrates só falou de si mesmo — o seu tema preferido — ou repetiu as cinco frases combinadas lá na Central de Propaganda. E, ajudado pela entrevistadora, alimentou a agora habitual confusão total entre primeiro-ministro e secretário-geral do PS.
A estranha última pergunta de Sousa sobre a vida privada de Sócrates foi colocada ao secretário-geral do PS na sede do governo de Portugal. Sousa apresentou Sócrates como “divorciado” e “com dois filhos” e perguntou-lhe se “tenciona fazer campanha eleitoral com a família”. Recorde-se que nas presidenciais apareceram familiares de todos os candidatos nas campanhas e nenhum jornalista, nem Sousa, os interrogou sobre isso.
A pergunta permitiu a Sócrates fazer exactamente o que disse que não vai fazer: usar os filhos. Mencionou duas vezes o “amor aos meus filhos”. Disse também “sempre os procurei proteger”. Ora, na campanha de 2009, em entrevista à SIC, Sócrates fez “referências premeditadas” aos filhos (como lhes chamou então um dirigente da agência de comunicação LPM). Também a sua vida privada foi usada em ocasiões escolhidas a dedo ao longo dos anos. Mais de uma vez as revistas cor-de-rosa souberam com antecipação onde ele estaria em momentos “privados” com uma alegada namorada; e numa entrevista ao Diário de Notícias na campanha de 2009 ele falou da alegada namorada (i, 21.09.09).
Na acção mediática de Sócrates não há nada, mas rigorosamente nada, que surja ao acaso. As “respostas” em entrevistas são frases decoradas. Toda a sua agenda e a do Estado que comanda estão planeadas para obter ou evitar efeitos mediáticos. Por exemplo, a correcção para baixo do défice foi divulgada pelo INE no sábado de Páscoa, com o país político ausente. A gestão de danos é brilhante: a Central obliterou Teixeira dos Santos dos media quando este, a bem de Portugal, traiu Sócrates e falou da necessidade da ajuda externa.
A Central vai debitando diariamente pequenos “casos” para a imprensa: através de dirigentes e outras figuras do PS (as ordinarices de Lello não são “arreliadoras deficiências tecnológicas” mas declarações públicas calculadas, cabendo a Lello o papel de abandalhar os políticos em geral); ou através de “fontes”, ou nem isso, como nas campanhas negras na Internet. Essa acção permanente da Central, 24 horas por dia, desgasta os adversários, em especial o principal partido da oposição, sem a mínima preparação para enfrentar uma organização profissionalíssima, que hoje atingiu a dimensão de um embrião de polícia política de informações, agindo exclusivamente através dos media e Internet, directamente ou através de apaniguados ou ingénuos.
O desgaste dos adversários ainda está no princípio. Dado que Cavaco Silva e os ex-presidentes pediram uma campanha eleitoral esclarecedora, caberá à Central de Propaganda oculta e semi-secreta ao serviço do PS encher os media e a blogosfera de “casos”, invenções, mentiras, factóides descontextualizados, etc. Esta Central tem acesso a informações, por métodos quase científicos de busca, selecção e organização de informações, a que os jornalistas não têm ou não podem ter acesso, ou nem sonham que existem. A Central conhece o passado de todos quantos agem no espaço público e ousam desagradar ao PS-Governo. A Internet é usada para divulgar elementos “comprometedores” da sua vida. Fernando Nobre e família foram alvo desses ataques mal ele se candidatou pelo PSD. Nos EUA tem crescido igual tipo de desinformação, como a campanha negra por republicanos mais primários de “dúvidas” acerca da nacionalidade de Obama.
A brutalidade da desinformação e das campanhas negras atinge não só os adversários políticos, mas todos os que exerçam livremente a liberdade de expressão. Como o PS-Governo vive exclusivamente dos media, a Central visa em especial os comentadores e jornalistas que considere fazerem algo negativo para os seus interesses.
A jornalista Sofia Branco foi recentemente demitida de editora na agência LUSA por se ter recusado, com critérios editoriais, a pôr em linha uma “notícia” oriunda da Central de Propaganda. Recorde-se que o director de Informação da LUSA foi uma escolha pessoal de Sócrates e que o seu administrador principal é amigo pessoal de Sócrates. A demissão teve carácter de exemplo, pois visa recordar a todos os jornalistas, começando pelos da LUSA, que “quem se mete com o PS leva”.
O caso revela a Central em acção. Uma correspondente da LUSA recolheu uma declaração dum assessor do primeiro-ministro que este atribuiu a Sócrates. A editora da LUSA não quis divulgar declarações dum assessor como se fossem de Sócrates (dado que não eram de Sócrates!); disponibilizou-se para ouvi-las do próprio, mas o assessor negou a hipótese. A editora rejeitou a “notícia”. Acontece que a Central precisava que a “notícia” fosse vomitada para os media naquele dia; por isso, a chefia da LUSA soube logo do caso e colocou a “notícia” em linha; a editora foi liminarmente demitida, retaliação que já seria de dureza totalmente desajustada ao normal funcionamento de uma redacção se a editora tivesse procedido mal. No dia seguinte, Sócrates disse a tal frase que fora dita pelo assessor: é o habitual processo de inculcação pela repetição.
Sofia Branco foi demitida por ser jornalista. Se houve “quebra de confiança”, como a direcção socretista da LUSA invocou, não foi no profissionalismo da editora, mas sim quebra de confiança da Central de Propaganda numa jornalista que agiu como jornalista. “Hoje, 27 anos depois do 25 de Abril, faz-se jornalismo com medo”, disse Sofia Branco ao P2 (25.04).
A pressão infernal sobre os jornalistas deu resultados extraordinários nestes seis anos. Somada a campanhas negras e cumplicidades no seio dos media, permitiu a Sócrates ganhar em 2009 e está a permitir-lhe recuperar nas sondagens em 2011.
A estratégia da Central para esta campanha já está delineada. Um dos elementos tem passado despercebido: através de pessoas como Lello e de comentários anónimos produzidos pela Central e despejados na blogosfera e caixas de comentários, repete-se a ideia de que os políticos são todos iguais, todos corruptos, nem vale a pena ir votar. A Central sabe que a percentagem do PS pode subir se a abstenção crescer. O paradoxo de um partido fomentar subrepticiamente a abstenção explica-se: como os eleitores mais livres votariam mais facilmente na oposição, neutralizá-los diminui os votos nos outros e aumenta a proporção relativa do núcleo duro dos eleitores do PS.
Outro elemento que favorecerá essa estratégia será a habitual forma de as televisões cobrirem as campanhas na estrada. Apesar da crise no país, é provável que a cobertura televisiva se concentre, como habitualmente, nos almoços da “carne assada”, nas declarações da velhota na rua, do comerciante à porta, do militante de reduzida inteligência, no “isto está uma loucura” do jornalista empurrado por jornalistas, etc. Enfim, fait-divers sem conteúdo político e sem relação com o discurso dos responsáveis partidários.
Se as televisões juntarem às habituais reportagens da “carne assada” e da velha que grita na rua alguma cobertura aos “casos” emanados da Central, estará lançada a confusão que serve um único entre todos os partidos: o PS-Governo. Tudo o que não esclareça políticas, divirja para os “casos” do dia e para o diz-que-disse, em que a Central tem mestria absoluta, servirá para impedir um esclarecimento mínimo (desfavorável a quem governou) e para induzir descontentes a absterem-se. Se fizerem uma cobertura das campanhas como a de 2009, as televisões estarão a colaborar, não indirecta, mas directamente com a governação dos últimos anos e com a aplicação concreta, diária, da estratégia de desinformação e propaganda."

nota: O título é o original.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Não tem mesmo cura...

Porquê insistir tanto na mentira? Será para que pareça verdade?

“Vamos ter saudades do PEC”, frisou José Sócrates, culpando o PSD pelo chumbo das medidas do plano nacional de austeridade: “Cometeu-se um erro de irresponsabilidade. Os partidos levantaram-se em conjunto para chumbar o PEC para agora ter um programa pior que o anterior. Isso é que eu não consigo compreender. O PSD actuou por cobiça de poder, achou que esse era o momento para ganhar eleições. Talvez se engane”.

Ainda bem que o descaramento não contribui para o descontrolo das contas do estado, senão... o 'déficit' seria ainda maior, muito maior...

sábado, 16 de abril de 2011

Palavras de Bastonário...

Entre outras maiores ou menores barbaridades, disse «Era a grande punição democrática para a mediocridade, oportunismo e incompetência de todos os políticos portugueses. Era envergonhá-los publicamente perante a Europa e o mundo» . Palavras de Marinho e Pinto, bastonário da ordem dos advogados, a propósito de "uma greve à democracia". No que a "mediocridade, oportunismo e incompetência", se refere, assenta-lhe que nem uma luva.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Francamente, haja decência...

Afinal, parece confirmar-se - mais uma vez - que a D. Judite ainda pensa estar na RTP. Que vergonha a maneira como está a conduzir a entrevista, que mal começou, com Pedro Passos Coelho! Repito, mais uma vez, a pergunta que aqui deixei aquando da entrevista ao Ministro das Finanças, será que a D. Judite tem instruções de quem manda na TVI para agir como se estivesse na RTP?
Francamente, tenham decência...

domingo, 10 de abril de 2011

Pelos vistos... sou mesmo um jerico...

Alguém me explica, please, a razão do convite a Fernando Nobre para integrar a lista de deputados do PSD? Qual foi a ideia?

sábado, 9 de abril de 2011

Afinal, querem o quê?

O "Expresso" de hoje lança a ideia do "Compromisso Nacional" e, entre as 47 assinaturas, consta a de António Victorino que, no decorrer do congresso do PS, exclamou:

"Ó, Zé! O PSD tem medo de te defrontar!"



Em que ficamos? Querem um compromisso nacional, ou querem

o quê? Será que sabem???

E depois...?


Olhando estes números, será que são todos iguais? Ou haverá uns ainda mais iguais que outros?
Para quem eventualmente não saiba, PPP significa Parcerias Público Privadas. As tais onde se enterrou uma enorme fatia dos dinheiros deste País.


via Luís Marques Mendes






quinta-feira, 31 de março de 2011

Viva a propaganda...

A entrevista ao Ministro das Finanças na TVI ainda a decorrer, parece um simples acto de pura propaganda. Será que a D. Judite ainda não se esqueceu da RTP, ou tem instruções para agir como se lá estivessse?

sexta-feira, 25 de março de 2011

Por incrível que possa parecer...

Ao ler os resultados de uma sondagem publicada no "Diário Económico" desta sexta-feira, que atribui ao PS 24,5% das intenções de voto, fiquei siderado. Na verdade, não sei se hei-de rir se hei-de chorar. Direi que, no mínimo, é delirante...


quarta-feira, 23 de março de 2011

Viva o palavreado...

Afinal, fui bem enganado. O homem lá apresentou a demissão, com o palavreado do costume.
E deixou uma mensagem:. ou eu, ou o dilúvio...
E podem esperar que lá estará, de novo, nas próximas eleições que, se percebi, espera ganhar.
Será que, depois de tudo, consegue acreditar no que diz?

terça-feira, 22 de março de 2011

Pois, pois... Vai um apostinha...

Anda por aqui um 'bichinho' a atazanar-me ao ouvido que, apesar de - como afirmaram os responsáveis dos partidos da oposição - o PEC4 ir sair derrotado da votação de amanhã, o PM não se demitirá. Invocará, entre outras razões, a de que é o único que poderá negociar com a Europa, etc., etc., etc e tal... e está disposto a tudo para servir o País e não os interesses partidários como a oposição...
Lá terão os outros partidos, se forem capazes, de apresentar uma ou várias moções de censura e esperarem que uma delas seja aprovada por maioria como manda a Constituição, para nos vermos livres da personagem.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Ironia da mais pura...

Do Editorial da 'SÁBADO' de ontem, respigo a parte final:

"JOSÉ SÓCRATES IA RESOLVER a crise com um PEC, em Maio do ano passado - e por isso já apresentou mais três pacotes com medidas de austeridade. José Sócrates conseguiu a maior redução de despesa de que há memória em Portugal - e por isso a despesa do Estado voltou a subir em Janeiro deste ano. José Sócrates é capaz de resolver a crise controlando ainda mais a a despesa do Estado - e por isso quer aumentar ainda mais o IVA, subir outra vez o IRS e criar uma "contribuição especial" que todos os pensionistas que mais de 1.500 euros ( os riscos! ) terão de pagar. José Sócrates não precisa de ajuda externa - e por isso recorre ao Banco Central Europeu para comprar dívida pública portuguesa e quer recorrer ainda mais. José Sócrates é um brilhante primeiro ministro - e, por isso, é uma vítima." (negrito meu).

Se todo este texto não é uma ironia da mais pura... o que será?

quarta-feira, 16 de março de 2011

Pois é... pois é...

Ao pensar mais um pouco percebi, finalmente, por que é que aquele fulano na entrevista à SIC de ontem à noite, diz que os cortes e os congelamentos nas pensões são "corte na despesa".
Tem toda a razão: cada beneficiário destes cortes é, na verdade, obrigado a "corte na despesa"...

segunda-feira, 14 de março de 2011

Vá, digam lá que o Governo não zela pela terceira idade...

Segundo o 'Jornal de Negócios', o Governo prepara redução da taxa de IVA no golf de 23% para 6%.
Vá, digam lá que o Governo não se preocupa com a terceira idade...

sábado, 12 de março de 2011

Viva a incompetência ou a ignorância ...


Segundo uma notícia do 'Público' de hoje, o " ministro da Agricultura defendeu ontem que a rotulagem da origem do leite deve ser obrigatória e iria ajudar os produtores nacionais, dando aos consumidores a opção de escolher um produto português." Será que o ministro desconhece que todos os pacotes de leite, onde não se vê que são de clara origem portuguesa, têm um desenho oval com as seguintes indicações: nome do país abreviado PT (Portugal) ou ES (Espanha) ou outros, numa segunda linha um número que, presumo, indica o produtor e, numa terceira, a indicação CE. Será que isto não basta...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Chinesices...

Piada que circula nos meios financeiros de Hong Kong

1949 - A maioria dos intelectuais acreditava que o comunismo salvaria a China.

1969 - Os mesmos intelectuais acreditavam que a China ( com a sua revolução cultural ) salvaria o comunismo. Estávamos na era pós-Estaline e pós Primavera de Praga. O comunismo começara a ser desacreditado como ideologia.

1979 - Deng Xiao Ping percebeu que sòmente o capitalismo salvaria a China.

2009 - O mundo inteira acredita que apenas a China poderá salvar o capitalismo.

Que tal? Concordam?

sábado, 1 de janeiro de 2011

No comments

Que tal?


Publicado no "The Economist" January 1st, 2011